Rodrigo Savazoni

Jornalista, escritor e realizador multimídia

Resposta à “denúncia” de que o MinC estaria sumindo com conteúdos de seu site

Car@s,

Tomo a liberdade de tirar da caixa de comentário do post “Denuncia GRAVE! Minc esta apagando a verdade em ato criminoso!” a comunicação feita pelo jornalista Daniel Merli, que coordena a comunicação do Ministério da Cultura.

Temos escrito aqui no Trezentos vários textos que atacam a forma como a questão dos direitos autorais e da cultura em contexto digital passou a ser tratada pelo Ministério da Cultura dirigido por Ana de Holllanda. Nada do que vimos até agora foi suficiente para nos demover da convicção de que estamos diante de uma inflexão consciente, que pretende apagar boa parte dos avanços obtidos durante o governo Lula.

Nossa análise, no entanto, se baseia em fatos.

Por isso, faz-se necessário republicar com o mesmo destaque dado ao texto anterior a explicação técnica apresentada pelo Ministério, que resultou na retirada de links referentes a alguns eventos promovidos durante o processo de consulta à revisão da lei de direitos autorais. Esses links já estão novamente no ar.

“Em novembro do ano passado, foi atualizado o tema do WordPress utilizado pelo site do MinC, assim como seu layout. Nesse período, algumas páginas internas de secretarias e diretorias ficaram desconfiguradas. Foi o caso da seção dedicada ao tema Direito Autoral.

Para corrigir tal problema, optamos por marcar como “rascunho” ou “privado” a maior parte do conteúdo, para, aos poucos, republicá-lo no novo formato. O trabalho ainda não foi concluído, o que faz com que alguns conteúdos, de várias secretarias e diretorias, não tenha sido novamente publicado.
Foi o que aconteceu com os links aos quais se refere este blog, que nos alertou para o erro. Uma vez confirmado que os posts permaneciam privados, foram subidos outra vez (links originais).

Cabe observar que não haveria sentido em retirar do ar textos relacionados a estes seminários, uma vez que a página do Fórum (que contempla informações sobre todos os eventos) continuava acessível, assim como todos os anais dos seminários e a transcrição de todas as falas neles realizadas.”

5 Comments

  1. Anônimo

    Vou migrar também um comentário lá do outro post: “Impressionante como tudo se torna uma teoria conspiratória para justificar as críticas ao governo, não?”

    ; )

    Responder
  2. fazersite

    Eu até concordo que fomos um pouco alarmista mas como diz o ditado “quem não chora não mama”, se ninguém falasse que os links estavam fora do ar o minc nem iria perceber, valeu pelo aviso.

    Apesar dos links terem voltado, a licença Creative Commons não voltou, o ECAD continua tendo uma influência forte lá dentro, o post do Caetano defendendo leis de direito autoral ultrapassadas ainda está lá…entre muitas outras coisas. Ainda aguardo que a ministra coloque as cartas na mesa e defenda sua posição publicamente.

    Responder
  3. SOU EU de novo

    Bom, não acompanho de muito muito perto o assunto, não fico fiscalizando a página do Minc pra saber o que retirou e o que re-colocou no ar. O que SEI é que muitos AINDA ESTÃO RECLAMANDO que, apesar de muita coisa ter voltado, OS COMENTÁRIOS DAS PESSOAS CRITICANDO o Minc ainda continuam sumidas e SOMENTE TERIAM VOLTADO OS COMENTÁRIOS FAVORÁVEIS AO NOVO MINC E Á ANA! Os que criticavam, magicamente, continuam limados. E que, a despeito da discussão da Mudança da LDA. As que contemplavam os interesses do ECAD e dos medalhões dos privilégios (“direitos”) autorais de sempre tb teriam voltado. Mas a parte controversa, da revisão da LDA (que os medalhões e os lobbistas das majors odiaram, tornando publica sua insatisfação no final do ano passado, na administração passada), a que flexibiliza o direito autoral, permanceria sumida da parte da revisão da LDA discutida publicamente, inclusive na internet.

    Então, se se der cabo que assim permanece (sumido o que interessa sumir) fica-se mais do que tangível que a coisa não se tratou e nem se trata de “descuido” e sim é uma coisa programada e intencional (apesar que francamente, amadora toda vida, pq NADA DISSO EXCLUI tudo o que foi discutido na mudança da LDA nos ultimos 6 anos nem a consulta da internet – inclusive devidamente salva no Hard Disk de muita gente – um movimento desesperado e amador, que mais incita reações contrárias).

    Responder

COMENTE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *